Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente

Postagens

O Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e Perinatal

10 out 2019

A integração sistêmica de ações e serviços de saúde e a qualificação dos seus profissionais garante a redução da mortalidade materna e perinatal.

Ações para Organização da Rede Perinatal:

1. Vinculação e acompanhamento sistemático do pré-natal de baixo e alto risco;
2. Garantia de atenção ao pré-natal por equipe multiprofissional baseada em evidências;
3. Vinculação para o parto desde o inicio do pré-natal (pré-regulação);
4. Articulação das Unidades Básicas com unidades responsáveis pelo Pré-Natal de Risco e com as Maternidades de referência;
5. Implantação do Acolhimento com Classificação de Risco em todas as maternidades;
6. Garantia de assistência ao parto e nascimento por equipe multiprofissional e baseada em evidências;
7. Garantia do transporte hospitalar seguro;
8. Promoção da atenção a Saúde Reprodutiva e Sexual na Atenção Primária e nas maternidades (ganho de oportunidade);
9. Ampliação dos serviços de atenção à mulher Vítima de Violência Sexual;
10. Ampliação das maternidades com certificação Iniciativa Hospital Amigo da Criança e Amiga da Mulher – UNICEF;
11. Ampliação dos espaços de discussão entre os pontos de atenção – Fórum Perinatal e Câmara Técnica (maternidades, atenção primária, regulação, gestão, etc.);
12. Acesso universal aos testes rápidos em todos os níveis da assistência;
13. Monitoramento periódico dos indicadores do SINASC e do SIM e de indicadores dos processos de cuidado perinatal e seus resultados;
14. Monitoramento da razão da mortalidade materna e neonatal;
15. Discussão dos óbitos maternos e neonatais com as unidades hospitalares, bem como com os respectivos Comitês de Óbito, levantando as fragilidades e as possíveis resoluções;
16. Ampliação da articulação entre a Atenção Primária, Atenção Hospitalar e Regulação;
17. Agilidade na comunicação dos casos de morbidade materna grave que estejam em unidade hospitalar sem suporte clínico ou tecnológico adequado para a resolução do caso, em busca de resolutividade em tempo oportuno;
18. Ampliação das vias de comunicação em busca de captação de leitos de suporte intensivo obstétrico e neonatal para Regulação.

A comunicação organizacional deve ser vista como uma estratégia a fim de desenvolver competências nas lideranças e pode representar um mecanismo de melhoria dos resultados.

 

Abaixo, Trecho do Encontro com Especialista sobre o tema:

O Encontro com o Especialista é uma webconferência realizada quinzenalmente com especialistas de diversas áreas. Para participar é necessário se inscrever no evento, assim você poderá enviar dúvidas que serão respondidas ao vivo!

Fique atento à agenda de Encontros com o Especialista. Inscreva-se já!

 

Conteúdo Relacionado

 

Referências citadas