Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente

Postagens

Como Higienizar corretamente as mãos e antebraços?

17 mar 2020

Postagem de 17/03/2020 | Atualizada em 30/04/2020

Higienização deficiente das mãos resulta em mãos que permanecem contaminadas.

Médicos, enfermeiros e outros trabalhadores da saúde podem contaminar suas mãos fazendo coisas simples.

As infecções relacionadas à assistência à saúde afetam milhões de pacientes em todo o mundo e também impactam de forma significativa os sistemas de saúde. Em países desenvolvidos essas infecções representam cerca de 5% a 10% das internações hospitalares e em países em desenvolvimento pode acometer mais de 25% dos pacientes.

As mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos durante a assistência prestada aos pacientes e a higienização das mãos é reconhecida como a prática mais efetiva para reduzir as infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS).

Higienizar as mãos de forma correta é fundamental para da segurança do paciente. A adequada higienização das mãos deve ser realizada:

  • antes do contato com o paciente;
  • após o contato com o paciente;
  • antes da realização de procedimento asséptico;
  • após o risco de exposição a fluidos corporais e,
  • após tocar superfícies próximas ao paciente.

O uso de luvas não substitui a higienização das mãos.

Abaixo, vídeo demonstrativo completo com a correta higienização das mãos com água e sabão e com preparação alcoólica:

 

Demonstração da correta Higienização das mãos com água e sabão

 

Demonstração da correta Higienização das mãos com preparação alcoólica

 

Recomendações sobre produtos saneantes que possam substituir o álcool 70% na desinfecção de superfícies, durante a pandemia da COVID-19

A pandemia de COVID-19 vem causando aumento dos casos de pessoas infectadas, devido à facilidade de transmissão do vírus. Sabe-se que o novo coronavírus denominado SARS-Cov-2 causador da COVID-19 se transmite principalmente:

  • de pessoa a pessoa por gotículas respiratórias produzidas quando uma pessoa infectada tosse ou espirra.
  • por contato com superfícies ou objetos contaminados, onde o vírus pode ficar por horas ou dias, dependendo do tipo de material.

O conhecimento da porta de entrada e do modo de transmissão do agente infeccioso fornece uma base científica para determinar as medidas de controle apropriadas para as ações de saúde pública, que tem como objetivo conter e limitar a propagação de doenças patogênicas, com alta virulência, como é o caso do vírus SARS-Cov-2.

Assim, as medidas adotadas de lavagem frequente das mãos com água e sabonete ou, quando não há acesso a instalações adequadas de  lavagem das mãos, o uso de produtos sanitizantes para as mãos e a prática de desinfecção de superfícies, são recomendadas com base nas formas de transmissão do vírus.

A seguir, Nota Técnica n.º 26 da ANVISA, com Recomendações sobre produtos saneantes que possam substituir o álcool 70% na desinfecção de superfícies, durante a pandemia da COVID-19.

 

Conteúdo Relacionado

 

Tags: Coronavírus COVID-19